quinta-feira, 7 de junho de 2018

Tudo está no seu Lugar





Lula na senzala
  Temer na varanda
    Casa grande clama
  Louros da vitória

Na senzala Lula
   Na varanda Temer
      Casa grande: Louros
Clamam a vitória





segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Consonant Sounds






Melhor

Uma bela palavra,

Molha a boca.

Hibrida.

Água para o sedento.

Mata a sede pela saliva deliciosa de seus dígrafos.

Sopa de fonemas,

Canções consonantais.

Consoantes letras em meu caminho…




domingo, 11 de junho de 2017

Lembrança furta-cor








Conheço diversas cores

Brilhantes e opacas.

Cores amarelas com calor de vermelhas.

Cinzas com gosto de laranjas,

Brancas com cheiro de rosas.

Nesse dia diorama

Sorvi do cálice,

Calado,

O gosto imagético pigmentado.

Desde então

Desconheço

O roxo escuro do olhar.

O breu do esquecimento

Tirou-me a íris da memória.





quinta-feira, 27 de abril de 2017

A casa grande persegue Lula e o povo sofre o golpe (Brasil queima)



        Assisto um golpe em curso que não cessará sua sanha por poder e destruição do povo.
CLT, SUS, INSS e o que mais houver com vontade social será devorado pelo monstro insaciável.              Atônitos, lenientes, ignorantes e impotentes assistimos o monstro vencer, destruir, devorar e gargalhar.

       Globotizados cospem xingamentos e o ódio irradiado por fricção atômica atinge tudo e a todos.            Não há mais pessoas, vejo apenas andrajos entrecortados por gritos de horror e de torpor.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

LIVRE A GIRAR






Esqueço chaves,

Relógio,

Tempo ,

Ofensas,

Tristezas

E carteiras.

Certo dia,

Eu, de tão distraído

Perdi um amor.

Um tempo esquecido,

Interno de uma gaveta qualquer.

Depósito lotado,

Guarda-chuvas solitários.

Um desses atrevidos

Desvencilhou-se dessa opressão.

Guiado pelo vento

Girava em diagonal

Sob uma azulada manhã.

Céu leve de outono.


segunda-feira, 6 de março de 2017

Parras poéticas





Como folhas do outono,

Um visgo de poesia

Desapega-se da pena.

Frases florescem em mim,

Ecos secretos segredando

Pétala por pétala

Memorias passadas, vindouras.

Parras sobre um corpo estranho,

Eclodindo em miasmas sem fim.

Palavras que profiro.



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Happy hour









O sol

Solicitando presença

Solapando tristezas

Entre nuvens gris

O sol

Solidário do dia

Soltando magia

A noite por um triz

O sol

Testemunha do acaso

Tez tíbia, ocaso

Trevas criando raiz